fbpx
INVESTIMENTO EM FUNDOS (400 x 200 px)

SPX Raptor: gestão, estratégia e rentabilidade do fundo

O SPX Raptor é um dos principais fundos macro do país.

É gerido pelo lendário Rogério Xavier, um dos gestores mais renomados do Brasil.

Para quem está ingressando nesse universo de fundos de investimento, faz sentido conhecer mais a respeito.

Nas próximas linhas, vamos entender melhor quem faz a gestão do SPX Raptor, como funciona a sua atuação e qual é a sua rentabilidade histórica.

Ficou interessado? Siga a leitura.

Gestão do SPX Raptor

O fundo SPX Raptor, um multimercado macro muito respeitado no país, nasceu em dezembro de 2010 e é gerido pelos três principais sócios da SPX Capital: Leonardo Linhares (bolsa), Bruno Pandolfi (câmbio) e Rogério Xavier (juros). 

Rogério Xavier, co-fundador da SPX e um dos destaques da equipe, é formado em Administração pela PUC-Rio e tem mais de 35 anos de mercado financeiro, com passagens pelo Banco de Investimentos Garantia e BBM. 

Leonardo Linhares, Bacharel em Economia pela UFRJ, começou sua trajetória profissional no Banco BBM em 1994 na área de inflação, instituição da qual se tornou sócio e diretor de renda variável.

Bruno Pandolfi, também co-fundador da SPX, é Engenheiro pela UFRJ com MBA em finanças e fez carreira no Banco BBM desde 1996, instituição da qual se tornou sócio e diretor financeiro. 

Uma das únicas gestoras independentes do Brasil a ter presença internacional relevante, a SPX capital tem escritórios em São Paulo, Rio de Janeiro, Londres, Nova York e Cascais (Portugal). 

Em entrevista ao canal da Exame Invest, Leonardo Linhares disse que a Ásia também está nos planos de expansão global da gestora.

Estratégia do SPX Raptor

O SPX Raptor é um fundo multimercado global em que a estratégia de investimentos é pautada por um processo metódico e contínuo de pesquisa dividido em quatro etapas:

  1. Construção de cenários macro e microeconômicos, a partir da interação entre os gestores, economistas e analistas, além do diálogo com consultores externos
  2. Identificação de oportunidades, a partir da comparação entre os cenários construídos pela gestão e os precificados pelo mercado, buscando desequilíbrios e assimetrias
  3. Tomada de decisão, que leva em conta o grau de convicção da estratégia na definição do tamanho da posição
  4. Supervisão e monitoramento das estratégias pelo Comitê Executivo, composto por Leonardo Linhares, Rogério Xavier, Bruno Pandolfi e Daniel Schneider.

Em geral, cada área sob comando de um dos gestores seniores conta com equipes formadas por trader, estrategista e executores, tornando a estrutura de gestão descentralizada.

Como multimercado macro, o SPX Raptor pode investir em juros, índices de preços, taxas de câmbio, commodities e ações, tanto no mercado à vista quanto no de derivativos. 

O fundo está fechado para captação

Rentabilidade do SPX Raptor

O SPX Raptor apresenta uma rentabilidade histórica acumulada, desde dezembro de 2010, de 677,49% (abril de 2022). 

O retorno equivale a 427% do CDI no mesmo período, seu benchmark.

A volatilidade histórica do fundo desde o início é de 12,53% e o índice de Sharpe, que mede o retorno ajustado ao risco, é de 0,88.  

Em relação à consistência, o SPX Raptor teve 94 meses positivos e 42 negativos desde dezembro de 2010, contra 73 a 64 do Ibovespa respectivamente.

A seguir, confira a rentabilidade ano a ano do SPX Raptor:

  • 2010 a partir de dezembro: 1,56% (176% do CDI)
  • 2011: 13,86% (120% do CDI)
  • 2012: 17,41% (207% do CDI)
  • 2013: 26,42% (328% do CDI)
  • 2014: 0,57% (5% do CDI)
  • 2015: 44,17% (334% do CDI)
  • 2016: 26,11% (187% do CDI)
  • 2017: 25,04% (252% do CDI)
  • 2018: 2,4% (37% do CDI)
  • 2019: 11,77% (197% do CDI)
  • 2020: 14,46% (524% do CDI)
  • 2021: 20,75% (469% do CDI)
  • 2022 até abril: 25,25% (801% do CDI).

Como investir no SPX Raptor

  • Data de início: 01/12/2010
  • Classificação Anbima: Multimercado Macro
  • Aplicação inicial mínima: R$ 1.000.000
  • Movimentação mínima: R$ 200.000
  • Saldo mínimo: R$ 1.000.000
  • Horário de movimentação: 15h30
  • Cota de aplicação: cota do último dia útil do mês
  • Cota de resgate: cota do último dia útil do mês mínimo D+90
  • Pagamento do resgate: 1º dia útil subsequente à conversão de cotas
  • Taxa de antecipação de resgate: 15%
  • Taxa de administração: 2,0% a.a. (máxima de 2,3% a.a.)
  • Taxa de performance: 20% do que exceder o CDI
  • Tributação: incidência conforme o tempo de aplicação.

O que achou de conhecer melhor o fundo SPX Raptor? Já investiu em algum dos fundos da SPX? Deixe um comentário.

Leia também:

Vinland Macro Plus

Conheça a Verde Asset


Lembre-se: rentabilidade passada não é garantia de retorno futuro. O desempenho dos fundos é líquido de taxas, mas não de impostos. O conteúdo deste blog tem o objetivo de educação financeira. Não tome decisões baseadas unicamente neste ou em qualquer texto. Faça a lição de casa, estude, questione, investigue e dê valor ao seu dinheiro.

Gustavo Heldt

Gustavo Heldt

Consultor associado da TRAAD Wiser Investor. Especialista em Investimentos e Finanças.

Me segue lá no Instagram 🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Envie suas dúvidas :)