Quanto rende fundo de renda fixa por mês: tire suas dúvidas

Gustavo Heldt

Quanto rende um fundo de renda fixa por mês? Fazer esse questionamento é essencial antes de escolher um fundo e começar a investir.

De modo geral, a rentabilidade varia conforme a estratégia do fundo escolhido, a performance da gestão na execução dessa estratégia e, em muitos casos, ao comportamento do mercado em relação às expectativas dos juros longos e da inflação. 

Com a leitura deste artigo, você vai descobrir quanto rende fundo de renda fixa por mês, vai conferir alguns exemplos de fundos e vai compreender as diferentes estratégias e por que elas oferecem retornos diferentes.

Ficou interessado? Siga a leitura.

Quanto rende um fundo de renda fixa por mês

O quanto rende um fundo de renda fixa por mês depende, principalmente, do cenário de juros e da inflação no país.

Na composição desse tipo de fundo, há sobretudo títulos bancários, públicos e privados

Sendo assim, os fundos de renda fixa são classificados em diferentes categorias, como:

  • Fundo de renda fixa simples
  • Fundo de renda fixa indexado
  • Fundos de baixa, média ou alta duração
  • Fundo de investimento no exterior.

As diferentes abordagens e estratégias resultam em diferentes retornos.

De maneira geral, o rendimento sofre influência direta ou indireta da taxa Selic e dos juros futuros (aqueles que refletem a expectativa do mercado). 

Se for um fundo indexado, como os fundos DI, seu rendimento seguirá de perto algum índice de mercado, como o CDI.

Se o índice sobe, o fundo rende mais. Se cai, rende menos. 

Mas dependendo da categoria, o rendimento de um fundo de renda fixa também pode ficar negativo em determinados períodos.

Isso ocorre devido a um fenômeno conhecido no mercado de títulos públicos: a marcação a mercado.

É o caso de fundos que investem, por exemplo, em títulos prefixados do Tesouro Direto ou atrelados ao IPCA.

Esses títulos sofrem alterações de preço diariamente por causa das variações dos juros futuros e isso impacta o valor das cotas. 

Mas não há motivo para se preocupar. Os fundos de gestão ativa usam desses movimentos, inclusive, para turbinar o resultado dos fundos no médio e longo prazo.

Outro detalhe que deve ser lembrado quando se pergunta quanto rende um fundo de renda fixa por mês é o prêmio de risco

Fundos de crédito privado que compram dívidas de empresas, por exemplo, correm mais risco do que fundos soberanos (que investem 100% em títulos públicos). 

Se existe risco de crédito das empresas emissoras dos títulos, então a rentabilidade deve ser maior para compensar o risco. 

Quanto rende um fundo de renda fixa por mês (exemplos)

Para saber quanto rende um fundo de renda fixa simples por mês, vale a pena conferir alguns exemplos de fundos disponíveis no mercado.

A seguir, confira a rentabilidade mês a mês de três deles.

Lembre-se: ao conferir a rentabilidade de um fundo, os percentuais já são líquidos de qualquer taxa de administração e performance.

ARX Everest

O fundo ARX Everest FIC FIRF CP é um pós-fixado que investe em crédito privado (títulos emitidos por empresas) de alta qualidade (high grade). 

Fundos dessa natureza geralmente rendem mais do que fundos que investem majoritariamente em títulos públicos (há um prêmio de risco no crédito privado).

Os títulos aqui são atrelados ao CDI e, portanto, não costumam sofrer marcação a mercado em cenário de estresse nas taxas de juros futuros.

Mesmo assim, há um spread do crédito privado que pode se comprimir e resultar em volatilidade e até flutuações negativas em prazos curtos.

Sempre é bom observar o exemplo de março de 2020, quando os fundos de crédito privado sofreram muito com resgates e cotas negativas.

Nesse tipo de cenário, consulte seu consultor ou assessor de investimentos para não resgatar na hora errada. 

De janeiro a novembro de 2021, veja quanto rendeu este fundo de renda fixa mês a mês:

  • Janeiro: 0,79%
  • Fevereiro: 0,56%
  • Março: 0,96%
  • Abril: 0,81%
  • Maio: 0,58%
  • Junho: 0,70%
  • Julho: 0,89%
  • Agosto: 0,74%
  • Setembro: 0,87%
  • Outubro: 0,87%
  • Novembro: 0,73%.

Sparta Max

O Sparta Max FIC FI RF CP LP também é um fundo de renda fixa de crédito livre que investe em títulos de empresas de diferentes segmentos (crédito privado) de alta qualidade (high grade), visando à meta de CDI+1,8%. 

Os títulos comprados são CDI+, ou seja, não sofrem com a volatilidade da marcação a mercado das taxas prés.

De julho a novembro de 2021, o fundo apresentou a seguinte rentabilidade:

  • Janeiro: 0,50%
  • Fevereiro: 0,58%
  • Março: 0,56%
  • Abril: 0,59%
  • Maio: 0,49%
  • Junho: 0,58%
  • Julho: 0,71%
  • Agosto: 0,69%
  • Setembro: 0,67%
  • Outubro: 0,60%
  • Novembro: 0,74%.

Tesouro Selic Simples do BTG

O fundo BTG Tesouro Selic Simples taxa zero é um fundo de renda fixa simples destinado a clientes do  BTG Pactual.

Seu objetivo é acompanhar a variação da taxa Selic, oferecendo liquidez diária, o que o torna uma boa opção para a reserva de emergência.

Observe que ele tem baixa volatilidade e tende a oferecer retorno semelhante à variação da Selic do período.

De janeiro a novembro de 2021, veja quanto este fundo de renda fixa rendeu por mês:

  • Janeiro: 0,18%
  • Fevereiro: 0,10%
  • Março: 0,19%
  • Abril: 0,15%
  • Maio: 0,30%
  • Junho: 0,32%
  • Julho: 0,39%
  • Agosto: 0,44%
  • Setembro: 0,46%
  • Outubro: 0,52%
  • Novembro: 0,57%.

BTG Pactual Debêntures Incentivadas Inflação Infra

O BTG Pactual Debêntures Incentivadas é um fundo que investe em títulos corporativos de empresas de alta qualidade de crédito com isenção de Imposto de Renda.

O benchmark do fundo é o IMAB-5, índice de renda fixa de títulos de até 5 anos atrelados ao IPCA.

Historicamente, essa base de referência é oportuna: supera o CDI e oferece, no longo prazo, retorno superior à inflação.

Trata-se de um tipo de fundo de renda fixa que apresenta volatilidade bem superior aos anteriores, já que conta com a marcação a mercado do componente prefixado de seus títulos.

A isenção de Imposto de Renda, a estratégia e o tipo de taxa encontrada nesse produto tornam o fundo uma alternativa interessante.

Além do fundo do BTG, há diferentes opções no mercado, de gestoras como ARX e Sparta.

De janeiro a novembro de 2021, veja quanto este fundo de renda fixa rendeu por mês:

  • Janeiro: 0,28%
  • Fevereiro: -0,61%
  • Março: 1,00%
  • Abril: 1,02%
  • Maio: 1,07%
  • Junho: 0,41%
  • Julho: 0,28%
  • Agosto: -0,03%
  • Setembro: 0,98%
  • Outubro: -1,81%
  • Novembro: 2,79%.

Quanto rendem fundos de renda fixa mais arrojados?

Se você não fica empolgado com o retorno dos fundos de renda fixa, talvez esteja olhando apenas para o passado, com a Selic nas mínimas históricas.

Hoje, com a Selic rumando para os dois dígitos, os fundos de renda fixa podem ser alternativas interessantes na composição de qualquer portfólio.

Para rentabilidades maiores, é bom considerar ótimos fundos de FIDCs (fundos de investimento em direitos creditórios) e fundos de debêntures incentivadas (maior volatilidade, mas rentabilidade de longo prazo acompanhando e superando o IPCA).

Quanto deve render o fundo de renda fixa da reserva de emergência

Se você estiver fazendo o dever de casa e planejando as finanças com cuidado, já sabe que deve manter um valor de seis a 10 meses do seu custo de vida alocado em fundos e títulos de baixíssimo risco e elevada liquidez.

Essa medida garante que você possa resgatar a qualquer momento e contornar os imprevistos sem preocupação financeira.

Em termos de fundo de renda fixa, isso significa um fundo referenciado ou Simples, de preferência sem qualquer crédito privado, para garantir o máximo de segurança nesse nicho do seu patrimônio.

Nesse caso, o rendimento do fundo de renda fixa não será alto e dependerá basicamente da Selic.

Se o Brasil der certo, você não verá um fundo de renda fixa de títulos públicos pagando juros altos.

Spoiler: o Brasil não costuma dar certo.

Como calcular rentabilidade de fundo de renda fixa

Conforme mencionamos, ao avaliar a lâmina de um fundo, não se esqueça de que a rentabilidade indicada já é livre de qualquer taxa.

Mas, no cálculo para saber quanto rende fundo de renda fixa por mês, é preciso considerar diferentes fatores, que você vai conhecer nos tópicos abaixo. 

1. Imposto de Renda

Um aspecto que interfere na rentabilidade do fundo de renda fixa é a tributação.

Para o pagamento do Imposto de Renda, os fundos são classificados de duas formas: de curto e longo prazo.

As alíquotas são regressivas, diminuindo de acordo com o tempo de aplicação. Confira as tabelas:

Fundos de curto prazo

  • Até 180 dias: 22,5%
  • Acima de 180 dias: 20%.

Fundos de longo prazo

  • Até 180 dias: 22,5%
  • De 181 a 360 dias: 20%
  • De 361 a 720 dias: 17,5%
  • Acima de 720 dias: 15%.

2. IOF

Para calcular quanto rende fundo de renda fixa por mês, você também deve considerar o Imposto Sobre Operações Financeiras, que incide sobre os rendimentos.

O IOF só é cobrado para resgates em menos de 30 dias.

A alíquota também é regressiva: começa em 96% para resgates em 1 dia e diminui até chegar a zero em resgates a partir de 30 dias.

Para quem ainda é refém da poupança, vale lembrar: a caderneta paga juros apenas uma vez ao mês, no dia de aniversário do depósito.

Então, mesmo com a alíquota agressiva do IOF, fundos de renda fixa ainda oferecem vantagem no curtíssimo prazo.

3. Come-cotas

Come-cotas é o nome dado à antecipação do recolhimento de Imposto de Renda.

Ele é cobrado nos fundos de renda fixa duas vezes por ano, no último dia útil de maio e novembro. 

Essa antecipação diminui a quantidade de cotas do investidor no fundo e, por consequência, afeta a rentabilidade no longo prazo.

Para fundos de curto prazo, a alíquota é 20% e, para os de longo prazo, de 15%.

E então, compreendeu quanto rende fundo de renda fixa por mês? Deixe um comentário.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Gustavo Heldt

Gustavo Heldt

Gustavo Heldt é jornalista, especialista em investimentos, assessor e entusiasta de bons fundos e gestores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Envie suas dúvidas :)