fbpx
INVESTIMENTO EM FUNDOS (400 x 200 px)

Onde investir em 2023: os 8 melhores investimentos

Quer saber onde investir em 2023, mas não tem ideia de por onde começar?

Essa é uma dúvida comum, afinal, a escolha dos melhores ativos envolve uma série de fatores, como perfil, objetivos, expectativa de retorno e tolerância ao risco.

A verdade é que não há uma resposta pronta. 

Para saber onde investir em 2023, você precisa de um plano que leve em consideração o tripé dos investimentos financeiros: rentabilidade, risco e liquidez

A missão é desafiadora, mas me proponho a guiar você nessa jornada ao longo de 2023 e dos próximos anos.

Preparado para começar?  

Consultoria de investimentos

Onde investir em 2023?

Se você está pesquisando sobre onde investir em 2023, isso é um ótimo sinal.

Estudar sobre o assunto é o único caminho para decidir com inteligência.

A verdade é que o mercado financeiro é amplo, com oportunidades aqui e no exterior para os mais diferentes perfis de investidores. 

Mas o cenário de investimentos em 2023 é extremamente desafiador.

De forma geral, resumindo muito um quadro complexo, podemos dizer que há um movimento de desglobalização e de enxugamento de liquidez financeira em todo o mundo.

Até onde os olhos alcançam, isso significa juros mais altos, techs caindo, S&P para baixo, índices europeus em queda, criptomoedas no chão, spreads de crédito em terreno perigoso e uma bolsa brasileira muito descontada.

Calma: em um ambiente assim, o que está barato pode ficar ainda mais barato, especialmente em se tratando de mercado emergente.

Mesmo assim, com a taxa Selic em dois dígitos, há boas opções na renda fixa e na renda variável, com juros nas alturas e diversos ativos descontados.

Se o seu plano é de médio/longo prazo, o momento é mais do que oportuno para estruturar uma boa carteira de investimentos com segurança e rentabilidade.

> Leia também: Onde investir R$ 1 milhão no cenário atual.

Como se preparar para investir em 2023

Antes de pensar na alocação, contudo, é preciso dar um passo atrás e cumprir as seguintes etapas de preparação:

  1. Diagnóstico de sua situação financeira: quanto você ganha, quanto gasta, se há dívidas caras que podem ser trocadas por dívidas mais baratas, etc.
  2. Identificação do seu perfil de investidor: conservador, moderado ou arrojado, considerando aspectos como tolerância a riscos e expectativa de ganhos 
  3. Reserva de emergência: primeiro, é preciso ter de 6 a 12 vezes o valor de suas despesas mensais em alguma aplicação conservadora e líquida (Tesouro Selic, Fundo Tesouro Selic, CDB com liquidez diária de banco de qualidade)
  4. Um plano de investimento: viver de renda, fazer uma viagem, multiplicar o patrimônio, comprar um carro ou uma casa, entre outros.

As quatro etapas enumeradas acima devem ser cumpridas com critério, principalmente a criação do plano de investimento.

Afinal, antes de investir, você deve definir metas e objetivos para então buscar os ativos adequados.

Consultoria de investimentos

8 opções de investimentos para 2023

Para ajudar a descobrir onde investir em 2023, listei abaixo algumas opções que servirão como ponto de partida. 

Ao ler os tópicos, tenha em mente que não se trata de nenhuma recomendação, mas de um panorama geral das opções que o mercado tem a oferecer. 

Você pode estruturar uma carteira de investimentos mais concentrada ou mais diversificada, focada em renda ou em crescimento, com mais renda fixa ou renda variável.

Lembre que investimento é portfólio, portfólio é perfil, e perfil cada um tem o seu.

A melhor carteira para mim pode não ser a melhor para você, e vice-versa.

Para saber onde investir em 2023 e nos próximos anos, contudo, precisamos começar de algum lugar. Então, vamos lá!

1. Renda fixa

A renda fixa tem lugar de honra em um portfólio no Brasil, ainda mais considerando as taxas de juros que devem permanecer altas durante 2023, conforme expectativa dos agentes do mercado.

As opções são diversas:

  • Tesouro Direto: Tesouro Selic ou Tesouro IPCA + com ou sem juros semestrais, considerados os títulos mais seguros do mercado
  • CDBs, LCIs e LCAs: títulos bancários cobertos pelo FGC que podem ser prefixados, pós-fixados ou híbridos, como os títulos IPCA +
  • Debêntures: títulos privados por meio dos quais o investidor empresta dinheiro a empresas
  • CRIs e CRAs: certificados de recebíveis imobiliários e do agronegócio, também conhecidos como títulos de dívida
  • Fundos de renda fixa: diversas opções, desde fundos que investem majoritariamente em títulos públicos a fundos de crédito privado (cuidado aqui na escolha do gestor e na estratégia do fundo).

Além dos ativos tradicionais, recentemente, surgiram novas opções, como os ETFs de renda fixa e fundos de debêntures de infraestrutura negociados em bolsa.

Alguns, inclusive, com pagamento regular de proventos.

2. Ações com dividendos

As ações com dividendos são boas opções para quem está em busca de ativos geradores de renda.

Em geral, são empresas que atuam em setores perenes (bancos, transmissão de energia, seguros) que já alcançaram a “velocidade de cruzeiro”.

Como não têm tanta necessidade de reinvestimento, essas companhias distribuem parte do lucro na forma de dividendos aos acionistas.

São boas opções para quem gosta de dinheiro na conta regularmente e deseja viver de renda.

3. Fundos de ações

Os fundos de ações, assim como outros tipos de fundos de investimento, podem seguir  estratégias diversas. 

São dois tipos:

  • Fundos long only
  • Fundos long biased.

A diferença entre os dois consiste basicamente em proteção: o long biased se protege mais do risco de mercado do que o long only.

Ambos, no entanto, podem ser especializados em ações de dividendos, de crescimento, small caps, etc.

Podem ter abordagem bottom-up (fundamentos da empresa antes de qualquer outra análise) ou top-down (cenário macro antes do micro)

A vantagem do fundo é que você não precisa escolher ação por ação, o chamado “stock picking”, tarefa que demanda conhecimento analítico.

Ao investir em um fundo de ações, essa decisão fica a cargo do gestor. 

4. Fundos imobiliários

Se você quer investir em 2023 para receber rendimentos todos os meses, os fundos imobiliários (FIIs) são boas opções.

Como ativos de renda variável, os FIIs se dividem basicamente em duas categorias: 

  • Fundos de tijolo: investem em imóveis físicos, seja para desenvolvimento (construção e venda) seja para renda (recebimento de aluguel)
  • Fundos de papel: investem em títulos financeiros atrelados ao mercado imobiliário, como CRIs, LCIs, etc.

Os fundos imobiliários são negociados em bolsa a exemplo das ações e, geralmente, pagam rendimentos mensais isentos de Imposto de Renda.

Devido à situação de juros altos, com uma boa pesquisa, você encontrará FIIs de qualidade a preços atrativos e com dividend yield de encher os olhos.

> Leia também: Dividendos de fundos imobiliários: tributação e detalhes.

5. Fundos multimercado

Para quem quer saber onde investir em 2023 de forma diversificada sem precisar escolher ativo por ativo, os fundos multimercados podem ser a resposta.

Você pode considerar os multimercados macro, que buscam superar o CDI em qualquer cenário, ou os multimercados descorrelacionados, que não seguem nenhum índice específico. 

No Brasil, há excelentes gestoras com histórico consistente de performance nessa categoria de fundos, como Vista, Vinland, Absolute e SPX.

Para o cenário atual, de muitas incertezas, vale lembrar que os fundos macro buscam retorno em qualquer situação e se adaptam rapidamente a mudanças de ambiente.

6. Fundos internacionais

Os fundos internacionais cumprem um papel muito importante na carteira de um investidor que busca investir em 2023: neutraliza parte do risco Brasil do portfólio. 

Mudanças de governo e incertezas quanto aos rumos da política econômica deixam os mercados voláteis e a exposição internacional pode atenuar isso. 

Essa é uma estratégia que faz muito sentido, principalmente considerando que o dólar tende a se valorizar quando as coisas vão mal no Brasil. 

Ter parte da carteira dolarizada, portanto, deve fazer parte de uma estratégia de proteção patrimonial.

De qualquer forma, tome cuidado com a dupla variação nesse caso: o fundo vai render não apenas de acordo com a performance dos seus ativos, mas também conforme a variação do dólar em relação ao real.

7. Previdência privada

Quer saber onde investir em 2023 para a aposentadoria sem depender do INSS?

A previdência privada, sem dúvida, é uma opção, assim como os fundos imobiliários ou as ações de dividendos. 

Além da possibilidade de transformar o patrimônio em renda após a fase de acumulação, pode ser usada também como instrumento de planejamento sucessório, já que não entra em inventário.

Há muitas opções de previdência privada por aí, e você deve analisar com critério aspectos como rentabilidade, custos e qualidade da gestão antes de escolher a sua. 

8. Criptomoedas

Se você se interessa por criptomoedas, tenha em mente que, por se tratar de um mercado pouco regulamentado e em efervescência, os riscos associados também são maiores. 

Além disso, em um cenário de juros nas alturas e enxugamento de liquidez, elas não têm demonstrado boa performance.

De todo modo, pode fazer sentido para um pequeno percentual do portfólio de alguém com perfil arrojado e que queira se expor a essa classe de ativos. 

Além da escolha individual das criptos, você pode investir nesse mercado de maneira indireta, seja por meio de ETFs de criptomoedas ou fundos de investimento.

Como investir em 2023 com rentabilidade

Em resumo, para investir em 2023 de maneira rentável, aproveitando-se das melhores oportunidades do mercado, você precisa:

  • Organizar sua vida financeira 
  • Fazer sua reserva de emergência
  • Aproveitar-se da renda fixa com a alta da Selic 
  • Adicionar a renda variável para o longo prazo (há muitos ativos bons descontados)
  • Garimpar os melhores fundos de investimento, tanto no Brasil quanto no exterior
  • Revisar o seu plano sempre que necessário e fazer os devidos ajustes.

Quanto à rentabilidade, lembre-se de que ela é apenas uma perna do tripé a ser analisado em uma decisão de investimento: você precisa considerar também os riscos e a liquidez dos ativos.

Nesse aspecto, a conclusão que podemos tirar é que alta rentabilidade sempre vem acompanhada de alto risco e/ou de baixa liquidez.

Preciso de ajuda para investir?

Sim, para descobrir onde investir em 2023 e nos próximos anos com segurança e rentabilidade, uma consultoria é fundamental

Ao contratar um profissional qualificado, você passa a contar com um parceiro experiente na adequação dos ativos ao seu perfil e estratégia.

Como a remuneração do profissional depende do crescimento do seu patrimônio, temos, então, um alinhamento de interesses que faz todo sentido.

Ao longo deste artigo, tratamos de forma abrangente das opções para quem ainda não sabe onde investir em 2023. 

Se você deseja uma análise aprofundada e personalizada, conte com meus serviços de consultoria de investimentos

Meu trabalho é exatamente conectar as oportunidades do mercado às suas demandas enquanto investidor. 

Quer conhecer mais e descobrir como a consultoria de investimentos pode ajudar na construção e preservação do seu patrimônio?

Mande uma mensagem pelo WhatsApp e vamos conversar!

Consultoria de investimentos


Lembre-se: rentabilidade passada não é garantia de retorno futuro. O desempenho dos fundos é líquido de taxas, mas não de impostos. O conteúdo deste blog tem o objetivo de educação financeira. Não tome decisões baseadas unicamente neste ou em qualquer texto. Faça a lição de casa, estude, questione, investigue e dê valor ao seu dinheiro.

Picture of Gustavo Heldt

Gustavo Heldt

Consultor associado da TRAAD Wiser Investor. Especialista em Investimentos e Finanças.

Me segue lá no Instagram 🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Envie suas dúvidas :)