Lâmina de fundos: o que avaliar nesse documento

A lâmina de fundos é uma aliada do investidor na hora de escolher um fundo.

Com base nas informações dispostas no documento, é possível verificar se o fundo em questão é adequado para o seu perfil e todas as características que interferem na gestão dos ativos, composição da carteira e performance.

Mas saber como analisar as informações é essencial para usar a lâmina de fundos de maneira adequada.

É o que você vai aprender ao longo deste artigo. Confira.

O que é a lâmina de fundos

A lâmina de fundos é o documento que contém as informações essenciais do fundo.

O documento é divulgado pela gestora do fundo em formato simples e reduzido e deve ser apresentado a investidores antes do ingresso no fundo, conforme as regras definidas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Entre os dados que devem ser incluídos na lâmina, estão público-alvo, restrições de investimento, política do fundo, investimento mínimo, carência, composição da carteira e histórico de rentabilidade.

O conjunto de informação funciona como uma base para a tomada de decisão do investidor, que avalia se o fundo é adequado para o seu perfil e objetivos financeiros.

O que analisar na lâmina de fundos

Agora que você já sabe o que é a lâmina de fundos, confira nove informações que você deve analisar com cuidado antes de ingressar no fundo.

1. Público-alvo

O público-alvo é a definição do perfil de investidor a quem o fundo se destina. Avalie essa informação para saber se o fundo é adequado para você, portanto.

2. Classificação de risco do fundo

A primeira informação que você deve analisar é a classificação do risco do fundo.

Ela é atribuída pelo administrador do fundo de acordo com a estratégia de investimento adotada e compreende uma escala de 1 (menor risco) a 5 (maior risco).

3. Taxa de administração

A taxa de administração, que tem como objetivo custear as despesas do serviço, é outra informação essencial.

Como ela é feita a partir de um percentual anual, a taxa afeta a rentabilidade da aplicação e deve ser analisada de maneira prévia.

Além disso, verifique na lâmina se há cobrança de outras taxas no fundo.

4. Composição da carteira

Outro elemento que deve ser analisada é composição da carteira. Ou seja: em quais espécies de ativos o capital é investido. 

A informação deve vir acompanhada do patrimônio líquido do fundo.

5. Política de investimentos

A política de investimentos, por sua vez, deve ser apresentada de forma resumida.

Limites de aplicação em ativos no exterior e em crédito privado, limite de alavancagem e possibilidade de usar derivativos para proteção da carteira são informações listadas na lâmina de fundos em relação à política.

6. Investimento mínimo

Analise também o investimento mínimo solicitado pela administradora. Sem ele, você não pode ingressar no fundo.

Além disso, confira o saldo mínimo de movimentação no fundo e o saldo mínimo de permanência.

7. Carência e condições de resgate

A carência é o período mínimo em que você deve manter o capital aplicado no fundo, sem poder resgatar as cotas.

Esse prazo deve ser avaliado para identificar se o fundo é adequado para o seu objetivo financeiro.

Não se esqueça de conferir também as condições de resgate das cotas após o prazo de carência.

8. Histórico de rentabilidade

O histórico de rentabilidade é um dos fatores mais importantes da lâmina de fundos.

É por meio dele que você pode avaliar a performance do fundo nos últimos anos e meses e, dessa forma, verificar a eficácia do trabalho dos gestores.

Vale ressaltar que a rentabilidade divulgada na lâmina é líquida, já com o desconto da taxa de administração.

9. Serviço de atendimento

A lâmina de fundos também apresenta informações sobre o serviço de atendimento ao cotista. Portanto, verifique como é feita essa relação entre a gestora e você, investidor.

Além da lâmina dos fundos: outros documentos importantes

Como vimos, a lâmina de fundos é essencial. Mas não é o único documento que deve ser analisado antes de ingressar em um fundo. A seguir, confira outros dois itens importantes:

Regulamento

Depois de conferir a lâmina, é importante verificar o regulamento do fundo.

Trata-se do documento que apresenta as regras que funcionam como base para o funcionamento do fundo.

Além de apresentar uma linguagem formal, esse documento não sofre alterações constantes, ao contrário da lâmina, que sempre recebe atualizações de rentabilidade.

Entre as informações descritas no regulamento, estão a política de investimento, espécie (aberto ou fechado), taxas, fatores de risco, condições de aplicação e resgate, público-alvo e qualificação do administrador, custodiante e gestor da carteira.

Formulário de Informações Complementares

Outro documento importante é o formulário de informações complementares, que é disponibilizado online aos investidores.

Alguns dados adicionais que esse documento deve conter são local, meio e forma de divulgação e solicitação de informações do fundo, exposição dos fatores de risco inerentes à carteira, tributação aplicável e política de distribuição de cotas.

E aí, entendeu a importância da lâmina de fundos, do regulamento e do formulário de informações complementares?

Se as dicas foram úteis, compartilhe este artigo com outros investidores.

Confira também nossos posts sobre alguns dos fundos mais buscados por aqui: AlaskaBrasil CapitalEquitas SelectionForpusGuepardoAZ Quest Ações e Constellation Institucional.

Deixe uma resposta