Como funciona o investimento em fundos de ações (GUIA)

Gustavo Heldt

Se você tem dúvidas sobre o investimento em fundos de ações, encontrou o guia certo. 

Fundos de ações são veículos de investimento coletivo, por meio dos quais diversos investidores se unem para explorar as oportunidades da renda variável.

Por meio dos fundos, o dinheiro dos investidores é entregue a um gestor, que se responsabiliza por aplicá-lo no mercado e fazê-lo render.

Analogicamente, um fundo de investimento pode ser comparado a um condomínio, no qual os investidores (cotistas) são os condôminos e o gestor, o síndico. 

Em um condomínio, os custos inerentes à manutenção dos imóveis são compartilhados entre os moradores. 

O mesmo ocorre com os fundos, que aproveitam o grande volume de recursos para aproveitar as melhores oportunidades e reduzir os custos das operações.

Parece uma boa ideia, não é mesmo? Então siga a leitura para entender como é o investimento em fundos de ações e se esse é o melhor caminho para a sua jornada em renda variável.

Como funciona o investimento em fundos de ações: perguntas e respostas

O investimento em fundos de ações funciona como uma opção para quem quer aproveitar as oportunidades da renda variável de forma prática e simples. 

São fundos que aplicam pelo menos 67% dos recursos em ações e ativos relacionados, como cotas de fundos de ações, fundos de índices, entre outros.

Como é a tributação no fundo de ações?

O único imposto cobrado é o Imposto de Renda, que incide em uma alíquota de 15% sobre o rendimento, para qualquer prazo de resgate.

A boa notícia é que o fundo de ações não tem IOF, que impõe alíquota enorme para resgate inferior a 30 dias em fundos de renda fixa e multimercados.

Tem come-cotas no fundo de ações?

Não. Diferentemente de outros fundos de investimento, os fundos de ações não sofrem com a antecipação do Imposto de Renda a cada seis meses, conhecido como come-cotas.

Qual é o benchmark de um fundo de ações?

O principal benchmark (parâmetro) dos fundos de ações é o Ibovespa, o índice que mede também o desempenho da bolsa brasileira (B3). Mas pode haver outros.

Onde encontrar rankings de fundos de ações?

O ranking dos fundos de ações podem ser encontrados nas plataformas das corretoras, nas quais é possível classificar os fundos conforme a rentabilidade, aporte mínimo, etc.

No portal da Anbima, você encontra alguns rankings, considerando, por exemplo, administradores e gestores. 

Quais são os tipos de fundos de ações?

Os fundos de ações são classificados em categorias pela Anbima (Associação Brasileira de Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais). As principais são:

Fundos de dividendos

Investem em empresas que historicamente pagam bons dividendos (lucros distribuídos aos acionistas).

Em geral são empresas que atuam em setores perenes e indispensáveis, como energia e saneamento

Fundos setoriais

Investem em empresas de um mesmo setor ou conjunto de setores da economia, como infraestrutura, indústria e varejo. 

Fundos livres

São fundos que dão mais liberdade ao gestor na alocação dos recursos. Nesse tipo de fundo não há um compromisso de concentrar a aplicação em torno de uma estratégia específica. 

Fundos de small caps

Investem preponderantemente em empresas de baixa capitalização, mas com grande potencial de crescimento. 

Conforme a Anbima, uma empresa small cap não pode figurar entre as 25 maiores do Índice Brasil (IBrX).

Qual é a liquidez de um fundo de ações?

O prazo entre o pedido de resgate e o recebimento do dinheiro em fundos de ações é divulgado no regulamento e na lâmina do fundo. 

São dois prazos: de cotização (conversão das cotas em dinheiro) e de liquidação (o pagamento efetivamente). Dependendo do fundo de ações, esses prazos somados podem ser de 30, 60 dias ou mais. 

Em geral, os fundos small caps costumam demorar mais a pagar devido à baixa liquidez das ações nas quais investem.

Por que o investimento em fundos de ações funciona

Em dúvida se vale ou não a pena investir em fundos de ações? Então confira a seguir três motivos que vão ajudar você a decidir.

Gestão profissional

A gestão profissional é um dos principais motivos que torna interessante o investimento fundos de ações

Na compra direta dos papéis na bolsa, o investidor precisa ter profundo conhecimento sobre as empresas e o mercado na qual atuam para ter chance de sucesso. 

Por meio dos fundos, esse trabalho de seleção fica a cargo do gestor, que tem o suporte de uma equipe especializada e acesso a informações nem sempre disponíveis ao investidor comum. 

Praticidade

Investir em fundo de ações é simples e prático. O trabalho que você tem é o de escolher o fundo que mais se alinha ao seu perfil e fazer os aportes. O resto é por conta do gestor.

Diversificação

Fundo de ações também é uma maneira prática de diversificar o portfólio

Comprando ações diretamente, o investidor precisa desembolsar uma quantia significativa para diversificar a carteira. Por meio de um fundo, a diversificação acontece já a partir do primeiro aporte. 

Portanto, fundos de ações são uma boa opção para quem busca turbinar os investimentos, mas não quer entrar sozinho na bolsa.

Se é o seu caso, pesquise os produtos disponíveis, leia os documentos essenciais e compare o histórico de rentabilidade e as taxas cobradas. Feito isso, é só investir e acompanhar.

Gostou do artigo? Então compartilhe com seus amigos nas redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *