Fundos de investimento para empresas: vantagens e como investir

Gustavo Heldt

Os fundos de investimentos para empresas são opções para preservar e rentabilizar o capital de curto, médio e longo prazos do seu negócio. 

Da mesma forma que a pessoa física, a pessoa jurídica pode comprar suas cotas de fundos e ter retorno contínuo com uma gestão profissional. 

Assim, você diversifica as aplicações da sua empresa, tem acesso a várias classes de ativos (renda fixa, ações, multimercados, etc.) e ainda tem tratamento semelhante ao do investidor pessoa física.

Ficou interessado em conhecer os fundos de investimento para empresas?

Então, siga a leitura e veja como investir com seu CNPJ. 

Empresas podem investir em fundos de investimento?

Sim, há vários fundos de investimento para empresas que permitem diversificar as aplicações do seu negócio. 

Eles podem ser de renda fixa, ações, câmbio e multimercados, e têm como público-alvo tanto pessoas físicas como pessoas jurídicas.

Da mesma forma que uma pessoa física, a empresa pode comprar cotas de fundos e obter rendimentos conforme o desempenho da aplicação coletiva.

Para isso, basta abrir conta em uma corretora de valores com o CNPJ e escolher entre os fundos de investimento disponíveis. 

Assim, é possível fazer o capital render, formar reserva de emergência ou investir para futuras expansões da empresa, ou qualquer outro objetivo financeiro. 

Mas, como existem muitas opções no mercado financeiro, é importante estar atento a critérios como liquidez, taxas, grau de risco e tributação — e não apenas considerar a rentabilidade dos fundos.

Vantagens dos fundos de investimento para empresas

Uma das principais vantagens dos fundos de investimento para empresas é que as regras de aplicação e tributação são as mesmas para pessoas físicas e jurídicas.

Em outros investimentos, a pessoa jurídica encontra algumas restrições, como no caso do Tesouro Direto, que não permite aplicações de empresas.

Já na LCA (Letra de Crédito do Agronegócio) e LCI (Letra de Crédito Imobiliário), a isenção do Imposto de Renda não é válida para empresas (apenas pessoas físicas).

Na bolsa de valores, as empresas não têm o benefício de isenção de IR para vendas de ações até R$ 20 mil realizadas no mês.

Com os fundos de investimento, as empresas têm tratamento semelhante às pessoas físicas.

Além disso, deixar a gestão dos ativos nas mãos de um gestor profissional é interessante para o empreendedor que já tem inúmeras responsabilidades e não tem tempo para gerenciar os investimentos do negócio. 

Tributação de fundos de investimento para empresas

Os fundos de investimento para empresas são tributados pelo Imposto de Renda e também pelo IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

No caso do IR, as alíquotas variam de 15% a 22,5%, conforme o tipo de fundo e tempo de aplicação. Nos fundos de longo prazo, a tabela de referência é esta:

Prazo da aplicaçãoAlíquota IR
Até 180 dias22,5%
Entre 181 e 360 dias20%
Entre 361 e 720 dias17,5%
Acima de 720 dias15%

Além disso, é importante lembrar que os fundos de investimentos (com exceção dos fundos de ações e previdenciários) possuem o chamado come-cotas, que é uma antecipação semestral do recolhimento do IR. 

Já o IOF é cobrado somente quando a aplicação é resgatada em menos de 30 dias, seguindo a tabela regressiva abaixo:

Tabela regressiva do IOF
Número de dias decorridos da aplicaçãoIOF (%)Número de dias decorridos da aplicaçãoIOF (%)
196%1646%
293%1743%
390%1840%
486%1936%
583%2033%
680%2130%
776%2226%
873%2323%
970%2420%
1066%2516%
1163%2613%
1260%2710%
1356%286%
1453%293%
1550%300%

Como investir em fundos de investimento com a empresa

Para aplicar em fundos de investimento com a empresa, você deverá seguir quase o mesmo processo da aplicação como pessoa física.

Confira o passo a passo.

1. Encontre uma corretora habilitada

O primeiro passo para investir em fundos de investimento com a empresa é encontrar uma corretora de confiança.

O ideal é que a instituição tenha experiência com aplicações PJ, taxas competitivas e um atendimento personalizado para orientar o investidor e fornecer análises profissionais do mercado.

Lembre-se também de conferir se a corretora é autorizada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).  

2. Abra sua conta PJ

Para abrir conta na corretora com seu CNPJ, o processo é um pouco mais burocrático e exige os seguintes documentos:

  • Demonstração do Resultado do Exercício (DRE)
  • Balanço Patrimonial
  • Declaração de faturamento dos últimos 12 meses
  • Última alteração contratual (se houver).

Nesse momento, é importante ter o apoio do seu contador para reunir a documentação. 

3. Avalie os fundos disponíveis

Geralmente, os fundos de investimento disponíveis para empresas são os mesmos voltados a pessoas físicas.

Cabe a você verificar quais são as opções e montar seu portfólio de acordo com os objetivos do negócio.

Na hora de analisar um fundo, você deve levar em conta o histórico, qualidade da gestão, taxa de administração cobrada, liquidez, entre outros critérios.

Além disso, é importante estar atento a informações da lâmina como política de investimento, composição da carteira, classificação de risco, carência e condições de resgate, etc.

4. Defina sua estratégia de investimento

A estratégia de investimento não muda tanto de pessoa física para pessoa jurídica, pois você terá que tomar os mesmos cuidados com os prazos, diversificar a carteira e buscar uma boa relação entre risco e retorno.

Para começar, é interessante aplicar o capital de giro da empresa em um fundo de renda fixa com liquidez diária ou formar uma reserva de emergência, para que você tenha o dinheiro disponível a qualquer momento para demandas imediatas. 

Depois, você pode escolher fundos de renda fixa e multimercados com liquidez menor e maior potencial de rentabilidade para objetivos de curto e médio prazo, como adquirir novos equipamentos ou abrir uma nova filial.

Finalmente, os fundos de ações e cambiais possuem risco maior e alta volatilidade, mas podem ser interessantes para objetivos de longo prazo do negócio, dependendo muito do perfil da empresa e da gestão financeira. 

Entendeu como funcionam os fundos de investimento para empresas?

Deixe um comentário.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Gustavo Heldt

Gustavo Heldt

Gustavo Heldt é jornalista, especialista em investimentos, assessor e entusiasta de bons fundos e gestores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Envie suas dúvidas :)