Fundo de ações tem come-cotas? Tire suas dúvidas

Gustavo Heldt

Afinal, fundo de ações tem come-cotas? Entender como funciona esse mecanismo é primordial para planejar o investimento com sucesso.

Em poucas palavras, come-cotas é a antecipação do recolhimento de Imposto de Renda cobrada em alguns tipos de fundos. Sempre que há essa cobrança, o número de cotas do investidor é reduzido. Consequentemente, a rentabilidade fica menor.

Mas será que você precisa se preocupar com isso nesse tipo de investimento? Siga com a leitura e descubra se fundo de ações tem come-cotas.

Fundo de ações tem come-cotas?

O fundo de ações não tem come-cotas.

Por isso, você não precisa se preocupar em ter as cotas reduzidas devido à antecipação do Imposto de Renda.

Conforme veremos, essa é uma das principais vantagens de investir em fundos de ações.

Nesse caso, a alíquota de IR só é cobrada no momento do resgate.

Antes de continuar a leitura, vale a pena ter a definição de fundo de ações em mente.

Trata-se de fundos que investem no mínimo 67% do patrimônio em ações negociadas na bolsa de valores.

Os rendimentos, portanto, estão atrelados à renda variável e oscilam de acordo com os números do mercado.

Por que não ter come-cotas é boa notícia em fundo de ações

Para entender a vantagem da ausência de come-cotas no fundo de ações, primeiro é necessário saber como funciona esse mecanismo.

O come-cotas é a antecipação do recolhimento de Imposto de Renda que incide sobre alguns tipos de fundos de investimento (como os de renda fixa e multimercado, por exemplo).

Com esse mecanismo, o investimento sofre uma cobrança antecipada de IR a cada semestre, sempre no último dia útil dos meses de maio e novembro.

Na prática, o que acontece é uma redução do número de cotas que o investidor detém no fundo. A boa notícia quanto à ausência de come-cotas no fundo de ações se deve ao fato de que a rentabilidade aumenta. 

Isso ocorre porque as cotas do investidor não são reduzidas e ficam rendendo até o resgate. Como consequência, o retorno final é melhor.

Sem come-cotas: como é a tributação em fundo de ações?

A tributação em fundo de ações apresenta vantagens na comparação com outros tipos de fundo de investimentos.

Em relação ao Imposto de Renda, o fundo de ações é tributado a uma alíquota fixa de 15%, que incide sobre os rendimentos a cada resgate de cotas.

Diferentemente de outras modalidades de fundos, no de ações, a alíquota é sempre a mesma, independente do prazo da aplicação.

Cabe frisar que 15% é a menor alíquota da tabela regressiva para todos os tipos de fundo.

Na prática, trata-se de uma vantagem para o investidor, que não precisa se preocupar com o prazo da aplicação para pagar imposto reduzido.

Além disso, nos fundos de ações, não há incidência de IOF, o Imposto sobre Operações Financeiras.

É outra característica que reduz a preocupação do investidor quanto aos prazos.

Em outros tipos de fundos, o IOF é cobrado em resgates em menos de 30 dias, o que prejudica a rentabilidade da aplicação. No fundo de ações, esse problema não existe.

Por fim, conforme você agora já sabe, fundo de ações também não tem come-cotas, o que permite aumentar os rendimentos, sobretudo no longo prazo.

Tem outro fundo sem come-cotas?

Além do fundo de ações, existe outro tipo de fundo que não tem come-cotas.

Trata-se dos fundos de previdência privada, oferecidos por bancos e corretoras de valores.

Um dos objetivos da modalidade é complementar a aposentadoria social por meio de aplicações de longo prazo.

Sem a cobrança de come-cotas, a alíquota de Imposto de Renda só é cobrada nos fundos previdenciários no momento do resgate.

Assim, o investidor garante que as cotas que seriam reduzidas permaneçam no fundo, aumentando os rendimentos até o resgate.

Apesar disso, cabe ressaltar que, diferente do fundo de ações, no fundo de previdência privada a alíquota de Imposto de Renda não é fixa.

Na verdade, a tributação na modalidade pode ocorrer de duas formas: pela tabela regressiva e pela tabela progressiva.

De forma resumida, na tabela regressiva, a alíquota varia entre 35% e 10%, diminuindo conforme o tempo da aplicação. 

Já na tabela progressiva, há cobrança de alíquota de 15% sobre o valor resgatado, com incidência do IR na fonte.

Posteriormente, no resgate, é feito um reajuste de acordo com a tabela progressiva, que vai de 0 a 27,5%, de acordo com o valor recebido.

Como você pode ver, o fundo de ações e o fundo de previdência privada são os únicos que não têm come-cotas.

Portanto, as modalidades são boas opções para alcançar rendimentos maiores, principalmente considerando uma aplicação de longo prazo.

Se você gostou das dicas deste artigo, compartilhe com seus amigos. Leia outros conteúdos sobre investimentos aqui do blog para ampliar o seu conhecimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *