Como melhorar a rentabilidade dos fundos de previdência (GUIA)

Gustavo Heldt

A rentabilidade dos fundos de previdência parece sempre abaixo da média?

Existe uma solução bem simples para isso.

E ela não envolve o resgate.

Com a portabilidade, você pode encontrar fundos de previdência com maior rentabilidade e com o mesmo perfil e nível de risco do seu plano atual.

Parece mentira?

Mas não é.

Pode anotar aí: a previdência privada é um veículo de investimento muito maleável e tem uma série de vantagens tributárias e financeiras em relação a outras aplicações.

E outra notícia: as melhores gestoras do mercado têm versões previdenciárias dos seus fundos.

Estou falando, sim, das mais tradicionais, como Verde e SPX, mas também de Vinland, Dahlia, Trígono, Forpus, ARX, Kadima, entre outras.

Então, pronto para buscar uma rentabilidade maior nos seus fundos de previdência? Siga a leitura.

Rentabilidade dos fundos de previdência deixa a desejar

Se a rentabilidade dos fundos de previdência não costuma agradar, é melhor apontar o dedo para os verdadeiros vilões: os bancões antigos, e não o veículo de investimento.

Como assim?

Vou explicar em breve.

Um estudo feito pela Onze Gestora de Investimentos e divulgado pelo Valor Invest mostra que, dos 10 maiores fundos previdenciários de renda fixa, apenas quatro superaram o CDI em 2020.

Durante o período analisado, o CDI, principal benchmark da renda fixa, se encontrava nos menores patamares históricos: 2,77% ao ano.

Observe que os 10 fundos de renda fixa pesquisados administram, juntos, um patrimônio líquido de R$ 234,8 bilhões. 

A situação é menos alarmante nos fundos de previdência multimercados. Mesmo assim, apenas seis dos 10 maiores fundos da categoria bateram o CDI, segundo a pesquisa. 

Parece assustador, mas para quem acompanha o mercado previdenciário, os dados não surpreendem. 

A maioria dos fundos com os piores índices de rentabilidade mostrados no levantamento são dos grandes bancos públicos e privados.

Mas atenção: a previdência privada é um veículo de investimento que pode ser extremamente interessante e lucrativo, como veremos em breve.

Como melhorar a rentabilidade dos fundos de previdência

Descobriu que a realidade do seu fundo de previdência está deixando a desejar? 

Não se preocupe — seu problema pode ser facilmente solucionado. 

Faça a portabilidade

O primeiro passo é considerar a portabilidade da previdência privada.

Desde que você ainda esteja na fase de acumulação, é possível migrar para outro plano de previdência privada mais rentável e com melhores condições. 

Gestoras independentes e bancos de investimentos oferecem planos de previdência bem mais interessantes do que os bancos tradicionais.

A boa notícia é que você nem precisa pagar Imposto de Renda na portabilidade, e o tempo de contribuição continua contando para fins tributários.

Ou seja, não há taxas nem imposto para fazer a troca.

E o melhor: você não precisa nem descobrir quem é o seu gerente do bancão.

Faça uma combinação de fundos

Para garantir uma renda extra na aposentadoria, você não precisa se limitar a um único fundo no plano previdenciário. 

A rentabilidade dos fundos de previdência varia conforme o tipo de ativo nos quais o patrimônio é aplicado. 

Você pode, então, fazer uma combinação de fundos de maneira a obter o melhor resultado ajustado ao risco.

Já havia imaginado investir em fundo 100% ações na previdência?

Pois hoje isso é possível.

Não fique só na renda fixa

Dê uma olhada na rentabilidade dos fundos de previdência de ações e multimercados por meio desta ferramenta da Susep

Em determinados períodos, o resultado dos fundos com exposição à renda variável supera consideravelmente os de renda fixa.

Se você está fazendo planos para a previdência, seu investimento certamente visa ao longo prazo. 

Nesse caso, considere a inclusão de renda variável no seu portfólio de previdência. 

Com o tempo, os ruídos da volatilidade das ações são amenizados, e o resultado pode ser uma rentabilidade muito maior para a sua previdência.

Além da rentabilidade dos fundos de previdência: a tributação

A rentabilidade dos fundos de previdência está diretamente ligada à eficiência tributária que eles proporcionam.

Por isso, se você não estiver satisfeito com o retorno do seu fundo, respire antes de resgatar.

Em um plano PGBL, quem faz a declaração completa do IR tem o diferimento do pagamento do imposto, e o dinheiro que seria abocanhado agora pelo Leão fica rendendo por muitos e muitos anos.

Em um plano VGBL, a tributação regressiva alcança a taxa de 10% sobre o rendimento, a menor possível em todo o mercado financeiro.

Além do benefício tributário, tem ainda a questão da sucessão patrimonial, que é facilitada, afinal os fundos de previdência não pagam ITCMD em muitos estados nem vão passam por inventário.

Assessoria para melhorar a rentabilidade dos fundos de previdência

A rentabilidade dos fundos de previdência é apenas um dos aspectos a se analisar ao contratar um plano privado.

Uma questão importante nessa decisão é o ganho de eficiência tributária, que é possível tanto em um PGBL quanto em um VGBL.

Você sabe qual se encaixa mais no seu perfil? 

E a tabela do Imposto de Renda, tem certeza de que sua escolha entre progressiva e regressiva é a mais adequada?

Dúvidas como essas podem ser esclarecidas com o auxílio de uma boa assessoria de investimentos. 

Com base no seu perfil e nos seus objetivos, o assessor vasculha o mercado para oferecer a você as opções mais adequadas.

Nesse caso, dá até para fazer uma simulação do seu fundo de previdência atual e descobrir quanto você está deixando de ganhar por não contar com um portfólio de fundos mais rentável e respeitando o mesmo nível de risco.

Parece bom, não é mesmo?

Mas não deixe de fazer a sua parte.

Pesquise, compare e, se for o caso, faça a portabilidade para um produto mais vantajoso. 

Afinal, a decisão de investimentos será sempre sua.

Gostou das dicas sobre a rentabilidade dos fundos de previdência e as possibilidades que esse veículo de investimento oferece?

Compartilhe com seus amigos que também estão insatisfeitos com o plano atual.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Gustavo Heldt

Gustavo Heldt

Gustavo Heldt é jornalista, especialista em investimentos, assessor e entusiasta de bons fundos e gestores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Envie suas dúvidas :)