Como investir em ações americanas (Sem conta no exterior)

Gustavo Heldt

Como investir em ações americanas? 

Essa é uma das perguntas que mais tenho recebido nos últimos dias.

Até porque, com esse cenário político de polarização e essa incerteza fiscal que se agrava, o investidor tenta se afastar ao máximo de Brasília.

Não recomendo movimentos bruscos (nem para ações americanas, nem para a renda fixa brasileira).

Mesmo assim, seja qual for o pano de fundo, acho prudente criar portfólios diversificados não apenas entre classes de ativos no Brasil, mas também entre geografias e moedas.

Por isso, vou mostrar, nas próximas linhas, como investir em ações americanas — sem sair do Brasil e sem criar conta no exterior.

Como investir em ações americanas sem conta no exterior

Dá para investir em ações americanas evitando a burocracia de abrir mais uma conta, o custo de enviar dinheiro para o exterior e a dor de cabeça de tentar se entender em mais regras de tributação.

Para isso, há diferentes caminhos — todos acessíveis nas melhores corretoras e nos melhores bancos de investimento do Brasil:

ETFs (Exchange Traded Funds)

Os fundos de índice, ou ETFs, são fundos de investimento que seguem passivamente um benchmark.

Trata-se de uma ótima maneira de investir em ações americanas.

Aqui a preocupação não é bater o índice, como em um fundo de gestão ativa, mas em acompanhá-lo.

O mais comum entre os ETFs é o IVVB11, que replica o S&P500, o principal índice de ações americanas. Trata-se da maneira mais simples de acessar o índice com a exposição cambial, ou seja, contando com a variação do dólar.

Mas há muitos outros ETFs disponíveis.

O USTK11, por exemplo, acompanha o índice MSCI US IMI Information Technology 25/50.

Ele inclui mais de 350 empresas da área de Tecnologia dos Estados Unidos. Exemplos: Apple, Qualcomm e PayPal.

BDRs (Brazilian Depositary Receipts)

Os BDRs, mais conhecidos como certificados de depósito de valores mobiliários, funcionam como ‘títulos brasileiros’ de ações americanas. 

Em vez de investir diretamente em ações americanas, por meio de um BDR você adquire um certificado dessas ações, que são compradas e guardadas lá fora.

Já imaginou ser sócio do Warren Buffet?

Com o BDR da Berkshire Hathaway (BERK34), você pode aplicar no conglomerado de investimentos comandado por um dos maiores investidores do mundo.

Atualmente, a Berkshire é uma holding com posições importantes em empresas como Apple, American Express e Coca-Cola, além de investimentos nos setores de seguros e bancos.

Logo, comprar esse BDR significa investir em ações americanas por meio de uma companhia que é sinônimo de investimento de alto valor em longo prazo.

Fundos de investimento internacionais

Esta é uma maneira de investir não apenas em ações americanas, mas globais.

Se você busca exposição apenas aos Estados Unidos, talvez faça mais sentido investir em um ETF.

Mas, se o objetivo é diversificação em diferentes moedas e geografias, os fundos de investimento no exterior oferecem um campo farto.

Com o Fundsmith, por exemplo, você tem acesso às empresas quality escolhidas por um gestor renomado, apelidado de Warren Buffett Britânico, com track record excelente no stock picking.

O fundo de Terry Smith investe não apenas nos Estados Unidos, mas também na Europa.

O foco são empresas altamente lucrativas e com grandes diferenciais competitivos.

Por que investir em ações americanas

Investir em ações americanas, por meio de fundos ou BDRs, faz sentido por diversos motivos. Veja os principais:

Diminuir o fator local nos investimentos

Você pode fazer todos os esforços possíveis para proteger o seu patrimônio.

Mas só é possível mitigar os efeitos do Risco Brasil por meio dos investimentos estrangeiros, como as ações americanas.

O ano de 2021 provou, mais do que nunca, como a crise política e os problemas fiscais mexem com a sua carteira.  

Por isso, ter parte do capital lá fora é deixá-lo mais protegido e com possibilidade de crescimento — mesmo quando o nosso país dá passos para trás.

Ter ativos de alto crescimento

Você sabia que é nos Estados Unidos que estão localizadas as duas principais Bolsas de Valores do planeta? 

A segunda empresa mais valiosa do mundo, a Apple, tem um giro de ações maior do que todo o volume negociado em um pregão normal da B3.

E a maior parte das grandes empresas tech do planeta estão por lá, como Google e Microsoft.

Por isso, quem busca exposição a crescimento precisa mirar as ações americanas.

Fugir do real

O real é uma das piores moedas do mundo em 2021. Mas você não precisa ver o poder de compra da sua moeda se corroer.

Para manter sua carteira competitivo, você pode se expor ao dólar, a moeda de reserva do planeta, por meio de ações americanas.

Essa medida traz consigo um poder interessante de descorrelação: quando o Ibovespa cai, a moeda americana tende a se valorizar por aqui.

Assim, quem investe em bolsa brasileira pode reduzir sua volatilidade por meio da compra de ações americanas.

Como investir em ações americanas com o BTG Pactual Digital 

Afinal, como começar a investir em ações americanas?

Vamos lá. 

Primeiro, conheça o BTG Pactual Digital

É a plataforma do BTG, o maior banco de investimento da América Latina.

Por meio dele, você tem acesso não apenas a todos os instrumentos e ativos que vimos até aqui, mas também ao melhor private bank do Brasil. 

Segundo, busque um assessor de investimentos para ajudar a elucidar todas as suas dúvidas sobre os produtos financeiros do banco e sobre as melhores maneiras de comprar ações americanas.

É isso que eu faço, by the way.

Eu ajudo os investidores a navegarem melhor nesse oceano de oportunidades do mercado financeiro.

Ficou interessado? Então mande uma mensagem.

Vamos conversar 🙂

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Gustavo Heldt

Gustavo Heldt

Gustavo Heldt é jornalista, especialista em investimentos, assessor e entusiasta de bons fundos e gestores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Envie suas dúvidas :)