Como investir dinheiro de herança em 5 passos

Gustavo Heldt

Já pensou em como investir dinheiro de herança ou não sabe nem por onde começar?

Esse capital costuma chegar sem aviso e em momentos delicados, mas pode ser uma grande oportunidade de transformar sua vida financeira e garantir seu futuro.

A partir do momento em que você recebe uma herança, é sua missão cuidar do patrimônio conquistado durante toda a vida do familiar e fazê-lo render — e para isso é preciso conhecer o mercado financeiro.

Ficou interessado em saber como investir dinheiro de herança? 

Então, continue lendo e aprenda a multiplicar esse capital. 

Como investir dinheiro de herança

Se você está pensando em como investir dinheiro de herança, é sinal de que pretende fazer bom uso do patrimônio herdado e garantir seu futuro. 

Muitas vezes, esses recursos chegam de forma inesperada em um momento de dor e luto, após o falecimento de um ente querido. 

Nessa hora, é preciso ter cuidado e evitar decisões precipitadas sobre o destino do dinheiro.

Afinal, você não quer arriscar os bens e direitos que seu familiar levou a vida toda para conquistar, certo?

Então, para investir o dinheiro da herança, você deverá planejar os investimentos de acordo com seus objetivos, perfil e situação financeira.

Esse processo exige conhecimento sobre o mercado financeiro e dedicação à construção da sua carteira, se a meta é fazer o dinheiro render em longo prazo.

Naturalmente, você deverá pensar não apenas em multiplicar, mas também em proteger o patrimônio deixado pelo familiar.

O importante é ir com calma e não sair aplicando dinheiro em qualquer produto financeiro atraído por promessas de altos ganhos, pois todo investimento tem seus riscos — e uma herança é um capital que merece uma gestão cuidadosa

Vale a pena investir a herança na poupança?

Uma das primeiras ideias que vêm à mente para investir dinheiro de herança é colocar tudo na poupança

Afinal, trata-se de um investimento seguro e tranquilo, não é mesmo?

Calma, não é bem assim.

Mas 84,2% dos investidores brasileiros seguem esse raciocínio e priorizam a caderneta de poupança em seus investimentos, segundo a pesquisa Raio-X do investidor, realizada pela Anbima em 2020. 

De fato, essa é a aplicação mais “simples” do mercado financeiro. 

Conta com liquidez diária (o dinheiro pode ser retirado a qualquer momento), isenção de Imposto de Renda e baixíssimo risco.

Só que até essa “liquidez diária” deve ser encarada com cuidado.

Na verdade, a poupança oferece uma rentabilidade mensal, apenas no dia do “aniversário” do investimento. 

Ou seja, se você retirar sem planejamento o dinheiro da herança desse investimento, pode estar perdendo até 30 dias de rendimento.

Além disso, a rentabilidade é péssima em praticamente qualquer cenário.

A poupança tem um dos piores desempenhos entre todas as aplicações de renda fixa.

A rentabilidade do produto é calculada da seguinte forma:

  • Se a taxa Selic estiver acima de 8,5% ao ano, a poupança rende 0,5% sobre o valor depositado + Taxa Referencial (TR)
  • Se a taxa Selic estiver igual ou abaixo de 8,5% ao ano: a poupança rende 70% da Selic + Taxa Referencial.

Com a taxa Selic em 2% em janeiro de 2021 e a Taxa Referencial zerada, por exemplo, o rendimento da poupança é igual a 1,4% ao ano.

Isso significa que se você depositar R$ 1 mil na caderneta de poupança hoje, ganhará R$ 14,00 em um ano, aproximadamente. 

Esse é um rendimento bastante baixo e muitas vezes inferior à inflação — o que significa que há um retorno real negativo e perda de poder de compra.

No mercado de renda fixa, existem outras opções com rentabilidade superior e baixo risco, como veremos mais adiante.

Logo, se você quer ter um retorno real positivo, multiplicar o dinheiro em longo prazo e se proteger da inflação, não compensa investir dinheiro da herança na poupança.

Como investir dinheiro de herança em 5 passos

Para decidir como investir dinheiro de herança, você precisa seguir alguns passos básicos do investidor iniciante.

Veja como começar.

1. Quite dívidas e organize suas finanças

Antes de investir dinheiro de herança, é importante que você quite quaisquer dívidas pendentes e organize sua vida financeira.

Afinal, não adianta aplicar dinheiro em investimentos enquanto você estiver pagando juros para credores.

Da mesma forma, você precisa ter um controle eficiente do orçamento para não contrair novas dívidas e poupar uma parte da renda mensal para multiplicar seu patrimônio. 

Por isso, é recomendado usar o dinheiro da herança para resolver todas as pendências financeiras e começar seu planejamento do zero, com as contas em dia e uma nova visão das finanças. 

2. Separe sua reserva de emergência

A reserva de emergência deve ser suficiente para cobrir seus custos fixos por um período entre 6 a 12 meses, dependendo do seu grau de estabilidade financeira.

Esse fundo é obrigatório, pois você precisa de uma reserva para imprevistos como perda de emprego, emergências médicas ou redução da renda, por exemplo. 

Então, antes de investir o dinheiro da herança, calcule quanto você precisa guardar para imprevistos e deixe esse dinheiro em aplicações de baixo risco e liquidez diária, como CDBs e títulos do Tesouro Direto.

Assim, você sempre terá recursos para recorrer em uma emergência, sem prejudicar suas finanças e investimentos. 

3. Descubra qual o seu perfil de investidor

Quando você abre uma conta em uma corretora de valores, precisa fazer um teste de suitability que identifica seu perfil de investidor

Esse perfil revela sua tolerância ao risco, expectativa de ganhos e comportamento em relação aos investimentos de modo geral.

São três principais perfis:

  • Conservador: prioriza a proteção do capital e não gosta de correr riscos, optando por ativos mais seguros e estáveis (principalmente renda fixa). Não se importa em ter ganhos mais modestos em longo prazo, desde que o patrimônio esteja preservado
  • Moderado: combina ativos de baixo risco com outros mais arrojados, buscando a melhor relação risco-retorno possível. Geralmente, aloca a menor parte dos recursos na renda variável e a maior parte na renda fixa 
  • Arrojado: é o perfil mais agressivo, que não hesita em encarar a volatilidade do mercado em busca de ganhos mais altos. No entanto, também preserva uma parte do capital na renda fixa.

4. Trace objetivos

Para investir o dinheiro da herança, você precisa traçar objetivos financeiros

Você quer comprar um imóvel daqui a alguns anos? Trocar de carro em breve? Fazer uma reserva financeira para a aposentadoria? Alcançar a independência financeira em 10 anos?

Dependendo das metas e objetivos, você deverá ajustar sua estratégia de investimentos.

5. Estude o mercado financeiro

O mercado financeiro é um universo complexo e repleto de possibilidades de investimentos com diferentes prazos, retornos e graus de risco.

Logo, você precisa estudar pelo menos o básico para entender a dinâmica da renda fixa e variável, os riscos envolvidos e as perspectivas de ganhos em diversos produtos financeiros.

Uma dica é começar pelos cursos online e gratuitos da Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), que vão fornecer a base necessária para começar a investir o dinheiro de herança.

4 opções para investir dinheiro de herança

Se você ainda não sabe como investir dinheiro de herança na prática, precisa conhecer os ativos disponíveis no mercado.

Veja algumas opções para começar. 

1. Títulos públicos

Os títulos públicos costumam ser a porta de entrada para o mercado financeiro, pois têm a garantia do Tesouro Nacional e várias opções de rentabilidade.

Eles têm risco baixíssimo por serem emitidos pelo governo federal, têm liquidez diária e ainda rendem mais do que a poupança em longo prazo. 

Estas são as opções de títulos:

  • Tesouro Selic: título pós-fixado indexado à taxa Selic (taxa de juros básica da economia), sendo uma ótima opção para reserva de emergência 
  • Tesouro Prefixado: título prefixado, ou seja, com uma taxa de juros definida no momento da aplicação (indicado para objetivos de médio e longo prazo)
  • Tesouro IPCA: título pós-fixado com rentabilidade dada pela inflação mais uma taxa prefixada (Ex: IPCA + 2%), indicado para proteger o patrimônio da variação da inflação.

2. Títulos privados

Os títulos privados são ativos de renda fixa emitidos por bancos, financeiras e empresas.

Ao comprar um desses títulos, você “empresta” dinheiro ao emissor e ganha em troca uma remuneração em juros, que pode ser prefixada ou pós-fixada.

Os principais exemplos são os Certificados de Depósito Bancário (CDBs), Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio (LC, LCI e LCA) e debêntures.

Existem também CDBs, LCAs/LCIs, LCs e emissões bancárias de longa duração, além de debêntures e CRIs/CRAs com várias opções de rentabilidade e graus de risco.

3. Ações

Na renda variável, as ações negociadas na bolsa de valores funcionam como uma mola propulsora para elevar seu potencial de ganhos acima da média.

Mas, como estamos falando de investimentos com alta volatilidade, há chances de resultados positivos ou negativos — e você deve estar preparado para encarar o sobe e desce dos preços.

Se você se dedicar aos estudos, saberá usar estratégias para mitigar os riscos com investimentos de longo prazo baseados em empresas sólidas.

4. Fundos de investimento

Para fechar, os fundos de investimento são opções altamente versáteis que ajudam você a diversificar sua carteira e acessar a expertise de grandes investidores.

Eles funcionam como condomínios de investidores, em que cada participante compra sua cota e recebe rendimentos proporcionais, e são geridos por analistas profissionais.

Se você não se sente preparado para negociar ações, por exemplo, pode optar por um fundo de ações e deixar a gestão da carteira com um especialista. 

No mercado, há fundos com diferentes estratégias, rentabilidades, composição de carteiras e graus de risco e volatilidade. 

Assim, você pode diversificar as aplicações comprando cotas de diferentes fundos alinhados ao seu perfil.

Para saber mais sobre os fundos de investimento, confira nossos artigos sobre fundos de renda fixa, fundos multimercado e fundos de ações.

E então, ficou mais claro como investir o dinheiro da herança? Para encontrar boas opções de investimentos e cuidar bem desse patrimônio, continue navegando pelo blog.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Gustavo Heldt

Gustavo Heldt

Gustavo Heldt é jornalista, especialista em investimentos, assessor e entusiasta de bons fundos e gestores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Envie suas dúvidas :)