Como funciona um fundo de renda fixa: ativos, tributação e rentabilidade

Gustavo Heldt

Entender como funciona fundo de renda fixa é o primeiro passo para investir com segurança e diversificar a carteira. Se você está começando a investir agora, a modalidade é um bom caminho para sair da poupança.

Para isso, você precisa conhecer diferentes aspectos do fundo: ativos, tributação e rentabilidade. Assim, pode avaliar se o investimento é adequado para o seu perfil e objetivo financeiro. Curioso para tirar suas dúvidas? Então siga com a leitura e descubra como funciona o fundo de renda fixa.

Como funciona um fundo de renda fixa

Fundo de renda fixa, como o próprio nome diz, é um fundo de investimento que aplica majoritariamente em ativos de renda fixa. Em outras palavras, trata-se de uma carteira de ativos oferecida por instituições financeiras. O investidor compra uma parte da carteira e se torna um cotista, recebendo os lucros de acordo com a quantidade de cotas que detém. 

Nos fundos de renda fixa, pelo menos 80% da carteira é composta por ativos de renda fixa. Portanto, as aplicações são feitas em títulos públicos e privados, como Tesouro Direto, LCI, LCA e CDB, por exemplo. Os outros 20% são aplicados em diferentes instrumentos, que podem incluir renda variável.

A modalidade é ideal para quem tem perfil conservador e quer sair da poupança para ingressar no universo de investimentos. A principal vantagem é que a alocação dos recursos é feita por um gestor especializado, que acompanha diariamente os índices de mercado e monta uma estratégia de acordo com o perfil o objetivos do investidor.

Como funciona a tributação do fundo de renda fixa

Além da taxa de administração que o investidor paga à instituição financeira, há incidência de impostos sobre a aplicação. Confira a seguir como funciona o fundo de renda fixa nesse aspecto:

IOF

O Imposto sobre Operações Financeiras incide sobre os fundos de renda fixa quando os resgates são feitos em menos de 30 dias. A alíquota do IOF é regressiva, mas começa com taxas altíssimas: 96% para resgates em 1 dia. É, portanto, um fator que compromete a rentabilidade. 

Assim, ao investir nos fundos, é importante ter certeza de que você não vai fazer resgates no primeiro mês de aplicação.

Imposto de Renda

Em relação ao Imposto de Renda, os fundos de renda fixa são classificados em duas categorias: fundos de curto prazo e de longo prazo. Em ambos os casos, a cobrança segue a alíquota regressiva do IR. Ou seja: as taxas diminuem conforme o tempo.

Nos fundos de curto prazo, as alíquotas para os prazos de aplicação são as seguintes:

  • Até 180 dias: 22,5%
  • Acima de 180 dias: 20%.

Já nos fundos de renda fixa de longo prazo funciona assim:

  • Até 180 dias: 22,5%
  • De 181 a 360 dias: 20%
  • De 361 a 720 dias: 17,5%
  • Acima de 720 dias: 15%.

Come-cotas 

O come-cotas é a antecipação do recolhimento de Imposto de Renda. O recolhimento é feito pelo administrador do fundo, sempre no último dia útil de maio e novembro. A alíquota varia: 20% para fundos de curto prazo e 15% para fundos de longo prazo.

Como funciona a rentabilidade do fundo de renda fixa

Agora que você sabe como funciona o fundo de renda fixa, é hora de ir a fundo na rentabilidade desse tipo de aplicação. 

De forma geral, a renda fixa apresenta rentabilidade menor em relação à renda variável. Mas ela também oferece riscos menores, uma vez que acompanha índices de inflação e juros do mercado. Portanto, não há grandes oscilações na rentabilidade. De qualquer forma, a renda fixa ainda traz ganhos mais interessantes do que a poupança.

Cabe ressaltar que, em investimentos, a relação entre lucro e risco é oposta: quanto maior a rentabilidade, menor a segurança ?— e vice-versa.

Conforme vimos, 80% da carteira é formada por ativos de renda fixa, e os 20% restantes em outros produtos de renda variável, como derivativos. Esses 20% têm o objetivo de aumentar a rentabilidade, mas sem que a aplicação perca a segurança. 

A vantagem é que você não precisa ser especialista para investir. Como você já sabe, a alocação dos recursos é feita por um gestor profissional. Quanto à rentabilidade, ele procura sempre elevar os ganhos, adotando uma estratégia que segue o perfil e objetivos do investidor.

Considerando todos esses aspectos, o fundo de renda fixa é uma boa opção para sair da poupança e dispor de uma carteira diversificada a partir da aplicação em diferentes ativos.

E aí, compreendeu como funciona o fundo de renda fixa? Que tal começar a investir para fazer o seu dinheiro render? Siga acompanhando outros conteúdos do blog para conferir mais dicas sobre investimentos. E, se você gostou deste conteúdo, compartilhe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *