Análise de desempenho de fundos de investimento: passo a passo

Gustavo Heldt

A análise de desempenho de fundos de investimento não é um trabalho fácil.

O universo de fundos é vasto, complexo, denso e cheio de armadilhas.

Ficou com medo de se aventurar?

Calma, prometo desbravar esse novo mundo com você, ao seu lado, e tirando todas as suas dúvidas sobre a análise de fundos.

Análise de desempenho de fundos de investimento é essencial

Se você já investiu em fundos de investimento observando apenas o histórico dos últimos 12 meses, é melhor prestar atenção.

Essa é uma excelente maneira de perder dinheiro.

Para obter retorno melhor e montar uma carteira que faça sentido para o seu perfil, é importante fazer uma análise de desempenho de fundos que vá além do retorno nominal em uma curta janela temporal.

Em um fundo de ações ou multimercado, por exemplo, a rentabilidade de 12 meses pode ser negativa, e até bastante negativa, já que o horizonte de investimentos costuma ser bem mais amplo.

Um gestor de ações costuma alocar recursos em empresas de olho em seu crescimento nos próximos cinco, 10 ou 15 anos, e não nas próximas semanas.

Lembre-se: em renda variável, o retorno de curtíssimo prazo tem maior aleatoriedade do que se costuma imaginar.

Então, ao definir alocação em fundos de investimento, você também precisa avaliar janelas mais longas e incluir nessa conta fatores como qualidade da gestão, medidas de risco, governança, entre outros aspectos.

Pronto para começar a analisar o desempenho dos fundos de investimento e tomar decisões mais assertivas? Siga a leitura.

Análise de desempenho de fundos de investimento: 5 fatores a considerar

Na análise de desempenho de fundos de investimento, você deve considerar, além do rendimento, os motivos que sustentam os números.

A melhor rentabilidade não é necessariamente o maior rendimento. Pode ser que um fundo rendeu muito em determinado período, mas o gestor adicionou doses extras de risco. 

Portanto, ao fazer a análise de desempenho de fundos de investimento, considere alguns fatores-chave, como os destacados a seguir. 

1. Quem faz a gestão

O desempenho de um fundo de investimento está diretamente ligado às decisões do gestor

Portanto, é importante que você conheça a asset e sua reputação, bem como o gestor responsável pelo fundo.

Essa é uma análise mais qualitativa do que quantitativa. 

Leia as cartas do gestor, assista às entrevistas e tenha uma ideia de como as decisões de investimento são tomadas.

2. Histórico de desempenho

A análise do histórico de desempenho de fundos de investimento deve considerar diferentes janelas temporais, principalmente se você investe para o longo prazo. 

Não vale verificar apenas a rentabilidade dos últimos 12 meses. 

Confira como foi a performance do fundo nos últimos 24 meses, 36 meses, cinco anos ou em períodos de anormalidades, como crises econômico-financeiras.

Você pode acompanhar o histórico de desempenho na própria lâmina do fundo ou através de um comparador de fundos

3. Histórico de volatilidade

A volatilidade é típica de renda variável, mas também existe na renda fixa devido à marcação a mercado, nos ativos indexados à inflação ou prefixados. 

Alta volatilidade significa um grau mais alto de incerteza, especialmente em curto prazo.

4. Índice de Sharpe

O histórico de rendimento parece ótimo, mas como está o risco da carteira? 

Para ajudar a responder a essa pergunta, existe o Índice de Sharpe

Trata-se de um indicador que avalia o retorno da carteira ajustado ao risco. 

Se isolarmos todos os outros fatores, quanto maior o Índice de Sharpe, melhor

Significa que o gestor foi inteligente nas alocações e conseguiu maximizar o retorno, minimizando os riscos.

Para calcular o Sharpe, não é difícil: descubra o retorno do fundo ou ativo em determinado período, subtraia dele a taxa livre de risco e divida pela volatilidade. 

No caso de um fundo de renda fixa, a taxa livre de risco vai ser a Selic ou o CDI.

Com um comparador de fundos, como o Mais Retorno, você pode obter esse dado facilmente, em diferentes períodos.

5. Como são os drawdowns

Lembra do histórico de volatilidade? O drawdown ajuda o investidor a avaliar a intensidade e a duração das quedas das cotas. 

Trata-se de um indicador que expressa em percentuais quanto um ativo caiu desde a cotação máxima. 

Por meio do drawdown, você consegue analisar em quais momentos o fundo sofreu os maiores prejuízos e como foi a reação do gestor para recuperar as perdas. 

Assessoria para analisar o desempenho de fundos de investimento

A análise de desempenho de fundos de investimento é uma importante etapa no processo de decisão de investimento.

E, além do desempenho do fundo em si, você precisa avaliar como esse veículo de investimento vai se encaixar no seu portfólio.

Será que ele reduz ou aumenta a volatilidade da sua carteira?

Será que ele traz resultados melhores do que seus pares considerando a correlação com seus outros ativos?

Bom, antes de chegar a essa fase e responder questões como essa, você precisa dar um passo atrás, ter ciência do seu perfil de investidor e clareza quanto a seus objetivos.

Nessa hora, vale a pena contar com um aliado profissional, o assessor de investimentos.

O mercado de fundos de investimento é imenso, e o investidor pode adotar alguns filtros para facilitar sua vida e encontrar os melhores produtos financeiros para o seu perfil e para os seus objetivos.

Com um assessor e o auxílio de um bom research, você tem melhores condições de montar uma carteira de investimentos sob medida para uma jornada de conservação e multiplicação de capital.

Gostou das dicas para a análise de desempenho de fundos de investimento? Compartilhe com aqueles seus amigos que estão navegando com você nesse novo mundo das finanças.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Gustavo Heldt

Gustavo Heldt

Gustavo Heldt é jornalista, especialista em investimentos, assessor e entusiasta de bons fundos e gestores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Envie suas dúvidas :)