Fundos de investimento Alaska: como é a gestão da casa

Gustavo Heldt

Os fundos de investimento Alaska são fenômenos no mercado financeiro nacional. 

A receita que garantiu popularidade à gestora Alaska soma três ingredientes principais: performance que chama a atenção, gestores renomados e Magazine Luiza, uma ação que virou case de valorização nos últimos anos.

Com esses elementos, a casa conquistou os brasileiros e hoje gerencia diferentes fundos focados em renda variável.  Se você quer diversificar sua carteira, siga a leitura e conheça melhor a gestão dos fundos de investimento Alaska. 

Origem dos fundos de investimento Alaska

Os fundos de investimento Alaska foram abertos em 2015, com a união entre nomes de peso do mercado financeiro como o bilionário Luiz Alves Paes de Barros e o investidor Henrique Bredda.

As carteiras dos fundos são compostas principalmente por ações, a especialidade da casa. Alguns dos fundos contam com renda fixa e uma “pimenta” extra, com operações em moeda, juros e possibilidade de investimento no exterior. 

Em 2016, os fundos de investimento Alaska começaram a se destacar pelos bons retornos e passaram a atrair muitos investidores.

De acordo com dados publicados no Valor Investe em 2019, o fundo-mãe da família de fundos Alaska Black (Alaska Black Fic Fia BDR Nível 1) atingiu uma rentabilidade de 95,44% em 2016, 74,62% em 2017, 30,37% em 2018 e 36,48% em 2019 .

Esses resultados despertaram a atenção de investidores que procuravam alternativas à renda fixa, com o cenário de queda dos juros, transformando a Alaska em um novo fenômeno do mercado financeiro.

Até o fim de 2017, os fundos de investimento Alaska tinham pouco mais de 10 mil cotistas, e em 2019 já eram impressionantes 154 mil cotistas e um patrimônio de R$ 3,8 bilhões aplicado.

No mesmo ano, o fundo Alaska Black BDR Nível I levou o prêmio de melhor fundo de ações do país no ranking InfoMoney-Ibmec

Gestão dos fundos de investimento Alaska

Os fundos de investimento Alaska estão nas mãos de vários gestores qualificados:

  • Henrique Bredda: sócio fundador e gestor dos fundos da família Black, com experiência em empresas como Unibanco, Spinnaker Capital Group e Ashmore Brasil
  • Luiz Alves Paes de Barros: sócio fundador e CIO da Alaska, considerado um dos maiores investidores do mercado de renda variável brasileiro com 50 anos de experiência
  • Ney A. Miyamoto: sócio fundador e gestor com experiência em empresas como Deutsche Bank, Itaú Unibanco e Unibanco Securities
  • Danilo Bredda: sócio fundador e gestor com experiência em empresas como Dibran DTVM e VentureStar Capital Management.

A equipe soma 15 pessoas com ampla experiência no mercado de renda variável e expertise em risco, compliance, tecnologia e análise de empresas.

Como a própria empresa afirma, sua missão é proporcionar rendimentos consistentes no longo prazo, além de educar e informar investidores sobre o mercado financeiro.

Os princípios da gestão são a transparência, exposição estratégica ao risco e investimento com base em análise diligente e monitoramento constante. 

Um dos pilares da condução do fundo é a relação com os investidores, representada principalmente pela figura de Henrique Bredda, um dos gestores mais ativos em redes sociais e lives do mercado financeiro.

Estratégia dos fundos de investimento Alaska

A estratégia geral dos fundos de investimento Alaska é semelhante à de vários outros produtos da mesma categoria: comprar papéis de empresas que estão subvalorizadas e esperar pela subida dos preços para lucrar.

Atualmente, são sete fundos ativos com abordagens diferentes:

  • Alaska Black FIC FIA  – BDR Nível I: investe no mínimo 67% do patrimônio em ações, permite BDRs (Brazilian Depositary Receipts) e tem o IPCA como benchmark
  • Alaska Black FIC FIA II – BDR Nível I: investe no mínimo 67% do patrimônio em ações, permite BDRs (Brazilian Depositary Receipts) e tem o Ibovespa como benchmark
  • Alaska Black Institucional FIA: investe somente em ações (sem câmbio, juros ou BDR) tendo o Ibovespa como benchmark e estratégia de longuíssimo prazo 
  • Alaska 70 Icatu Previdenciário FIM: fundo previdenciário com 70% de alocação no fundo master de ações e 30% em renda fixa
  • Alaska 100 Icatu Previdenciário FIM: fundo previdenciário com 100% de alocação no fundo master de ações 
  • Alaska Black 70 Advisory XP Seg Prev FIC FIM: fundo previdenciário com 70% de alocação no fundo master de ações e 30% em renda fixa
  • Alaska Black 100 Advisory XP Seg Prev FIC FIM: fundo previdenciário com 100% de alocação no fundo master de ações 
  • Alaska Range FIM: fundo multimercado que combina ações, índices, juros e moedas tendo o CDI como benchmark.

Lembrando que todos os fundos são classificados entre os perfis de risco arrojado e agressivo.

Rentabilidade dos fundos de investimento Alaska

A rentabilidade de 2020 de alguns fundos de investimento da Alaska chamaram a atenção, especialmente pelas operações em dólar e juros.

Na prática, o rendimento apresentado a seguir serve como lembrete de que a renda variável varia, de fato, às vezes mais do que o investidor gostaria — especialmente em um cenário caótico de coronavírus e paralisação da economia.

Alaska Black FIC FIA – BDR Nível I

O Alaska Black FIC FIA – BDR Nível I apresentou os seguintes resultados, partindo da apuração de 07 de julho de 2020 da Anbima: 

  • 12 meses: -46,12%
  • 24 meses: -18,53%
  • 36 meses: 33,12%.

Dados anuais:

  • 2019: 36,48%
  • 2018: -18,53%
  • 2017: 33,12%
  • 2016: 74,62%
  • 2015: 129,21%
  • 2014: -22,37%
  • 2013: -9,92%
  • 2012: 37,70%.

Alaska Black FIC FIA II – BDR Nível I

O Alaska Black FIC FIA II – BDR Nível I teve os seguintes resultados, considerando a apuração de 07 de julho de 2020 da Anbima:

  • 12 meses: -45,27%
  • 24 meses: -11,68%
  • 36 meses: 47,76%.

Dados anuais:

  • 2019: 40,94%
  • 2018: 31,33%
  • 2017: 65,01%.

Alaska Black Institucional FIA

O Alaska Black Institucional FIA teve os seguintes resultados, considerando a apuração de 07 de julho de 2020 da Anbima:

  • 12 meses: 4,61%
  • 24 meses: 34,15%
  • 36 meses: 131,58%.

Dados anuais:

  • 2019: 31,12%
  • 2018: 32,37%
  • 2017: 51,44%.

E então, ficou interessado nos fundos de investimento Alaska? Aproveite para renovar sua carteira e compartilhar o texto com outros investidores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *